quinta-feira, 1 de abril de 2010

Dor contida

Num pensamento vivo

Sem nunca acordar.

Esse persistente livro

De nome recordar.


Páginas cheias

De um secreto sentir

Sente coração, sente!

Não me deixes dormir.


Mas está adormecido

Esse bom sentir.

Como que um coração partido

Sem peças para o unir.

6 comentários:

- Sílvia • disse...

gosto tanto do que escreves Ricardo (;

Anónimo disse...

Mais uma vez uma obra prima escrita por um coraçao sensivel que é o teu.
Cada poema teu é magico.
Cada vez fico mais impressionada contigo.
Nao sejas tao honesto.
Se tens talento desfruta-o em cada linha, em cada palavra.
Sempre conheci o teu lado mais divertido.
Mas é bom que tenha encontrado este.
Pois eu sempre soube que eras um rapaz especial,
agora nao restam duvidas.
Bem eu voltei cá como te tinha prometido.
E sempre que puder voltarei.
Beijos.

marcodossantos disse...

ta muito fixe mesmo
mostra que tens um lado doce, sensível e amável...
espelhas em cada verso, sentimento de quem está a escrever com a alma, com a razão do seu coração...
nota-se a transparência, e o perfecciosismo do que advém do interior que é a maior perfeição que há num ser humano...
mostras um pouco desse sentimento, a cada pessoa que têm a sorte de ler este texto, mais que isso ensinas um a um o que é sentir, o que é ter os melhores sentimentos que há, e por vezes que nos deixam magoados, mas, apesar de tudo, é eles que nos dão vida e colorem a nossa vida...
força rapaz, continua com uma das mais belas artes que existem... a escrita...
Abraços...

Anónimo disse...

vi um bocado a pressa mas estava giro,rimava e tudo :P
estava profundo,uma amostra do teu lado sentimental que guardas a mil chaves.
Delegado da turma

Leandro ribeiro disse...

excepcional, fantastico mesmo. gand ricardo um homen xeio de talentos. :) um abraço de um amigo. Leo. :)

Anónimo disse...

gostei :)

Enviar um comentário